O Estado Islâmico realizou 90 atentados suicidas em Janeiro

A Agência Amaq, o órgão de comunicação oficial do autoproclamado Estado Islâmico, divulgou nos canais encriptados do Telegram uma nova infografia com o resumo dos atentados suicidas realizados no Iraque e na Síria em Janeiro de 2017. Ao todo foram 90 ataques, a maioria através de veículos carregados de explosivos dirigidos em grande parte às forças iraquianas e curdas que tentam reconquistar Mossul.

iraque-e-siria-janeiro

Reportar sobre… o nada

Coisas da Sábado

Amanhã nas bancas: a família desconhecida de Mário Soares; entrevista ao embaixador Jorge Torres Pereira; as lutas pelo poder dentro dos partidos; Júlio Pereira em concurso para o Supremo Tribunal de Justiça; autarca falido com milhões para ajustes directos; Benoît Hamon, o vencedor surpresa das primárias do PS francês; os portugueses que querem limpar a banca; crimes fiscais da operação furacão acabaram em acordo; os últimos dias de actividade de uma prostituta; Caldas da Rainha, a cidade que recebe refugiados desde 1901; entrevista a Neil Hannon; e muito mais.

capa_sabado_666

Schiiiuuuu, não digam nada a Donald Trump…

Adel Kermiche e Abdel Malik Petitjean; Larossi Abballa; Ibrahim El Bakraoui, Najm al-‘Ashrāwī, Mohamed Abrini, Khālid al-Bakrāwī e Osama Krayem; Abdelhamid Abaaoud, Mohamed Abrini, Samy Amimour,  Salah Abdeslam, Brahim Abdeslam, Ismael Omar Mostefai, Samy Amimour,Foued Mohamed-Aggad; Amedy Coulibaly, Chérif Kouachi, Saïd Kouachi; Yassin Salhi; Mehdi Nemouche; Mohammad Sidique Khan, Shehzad Tanweer, Germaine Lindsay e Hasib Hussain.

Estes são os nomes dos autores dos atentados terroristas na Europa entre 2005 e 2016. Entre eles estão os dois jovens que degolaram o padre da igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray, na Normandia, em Julho de 2016; o homem que matou um casal de polícias na véspera do Euro 2016, nos arredores de Paris; os responsáveis pelo ataque ao Charlie Hebdo e ao Hiper Cashier, em Paris, em Janeiro de 2015; os autores dos atentados à sala de espectáculos Bataclan, ao Stade de France e a vários cafés de Paris, em Novembro de 2015;  os suicidas que levaram a cabo os atentados no aeroporto de Bruxelas e na estação de metro de Maalbeek, em Março de 2016; o homem que decapitou o patrão em  Saint-Quentin-Fallavier, perto de Lyon, em Junho de 2015; o autor do atentado no museu judaico de Bruxelas, em Maio de 2014; os responsáveis pelos atentados terroristas de Londres, em Julho de 2005.

As suas acções provocaram centenas de mortos no Reino Unido, na França e na Bélgica. Para além de agirem em nome de grupos terroristas como o auto-proclamado Estado Islâmico ou a Al Qaeda, unia-os um detalhe: eram (ou são) todos cidadãos europeus, nacionais do Reino Unido, Bélgica, França e Suécia.

É bom que ninguém diga nada disto a Donald Trump. Caso contrário, em breve, poderemos ser proibidos de entrar nos Estados Unidos.

o_muro-1

A ilustração é do Vasco Gargalo.

“I Am A Nasty Women”

Na marcha das mulheres, em Washington, a actriz Ashley Judd recitou um poema de Nina Donovan. A rapariga, de 19 anos, escreveu o texto pouco depois de Donald Trump classificar Hillary Clinton de Nasty Women durante um debate das eleições presidenciais. Nunca imaginou que atingisse estas proporções.

Reflexões sobre o Congresso dos Jornalistas

Imagem

joao-garcia

Michael Rezendes no Congresso dos Jornalistas Portugueses

Para quem não teve o privilégio de estar presente, fica aqui a intervenção do Michael Rezendes no 4.º Congresso dos Jornalistas Portugueses.