Como a comunicação de Passos Coelho passou do 80 para o 8

O Miguel Carvalho publica hoje, na Visão, uma entrevista notável que devia ser lida por todos os jornalistas, políticos, opinion makers e cidadãos interessados deste país. Pela primeira vez um consultor de comunicação – no caso, Fernando Moreira de Sá – fala abertamente sobre a importância dos blogues, redes sociais e fóruns na ascensão ao poder de um político: Pedro Passos Coelho.

E o que diz Fernando Moreira de Sá?

  • Que Passos Coelho tinha um braço armado na blogosfera constituído, entre outros, por jornalistas no activo como Pedro Correia, Luís Naves e Francisco Almeida Leite; os consultores de comunicação Rodrigo Saraiva e João Villalobos; ou o administrador António Nogueira Leite.
  • Que o blogue Albergue Espanhol foi criado propositadamente para influenciar a luta interna no PSD.
  • Que inundavam as redes sociais, blogues e fóruns com opiniões críticas dos adversários de Passos Coelho – que depois eram reproduzidas por opinion makers. 
  • Que as informações sobre o programa de Passos lhes chegavam antecipadamente.
  • Que criaram perfis falsos no Facebook para partilharem informações que queriam que fossem reproduzidas por pessoas reais.
  • Que os elogios a José Sócrates no Fórum da TSF em 2011 foram planeados para descredibilizar a entrevista.
  • Que como os bloggers que levaram Passos Coelho ao poder (Álvaro Santos Pereira, Carlos Sá Carneiro, Pedro Correia, Luís Naves, João Villalibos, Carlos Abreu Amorim, António Figueira, Francisco Almeida Leite, Vasco Campilho, José Aguiar, Pedro Froufe) foram para o governo e suas imediações, o executivo ficou sem quem o defendesse no mundo digital.
  • Que Miguel Relvas foi o cérebro de toda a operação.
  • Que os jornalistas são altamente manipuláveis.

A propósito, a entrevista aparece por causa da tese de mestrado de Fernando Moreira de Sá, nota 20, na Universidade de Vigo, sobre a importância da comunicação política digital na chegada de Pedro Passos Coelho à liderança do PSD.

fotografia (11)

8 thoughts on “Como a comunicação de Passos Coelho passou do 80 para o 8

  1. Quem usa a web cada vez deve ter mais consciencia que navega por sua conta e risco. Achar que a informação é inocente e candida é um disparate que o escandalo do Murdochk bem mostrou como foram eleitos primeiros ministrosingleses . eles claro que têm anos de xperiencia á nossa frente mas o que a net tem de bom é que se aprende depressa. Assimofaçam tambemos eleitores e deixem de ser ovelhas cheis de fé.

  2. Pingback: O que me importa na entrevista de Fernando Moreira de Sá | O Informador

  3. A comunicação de Passos Coelho era o 80 quando era feita para políticos e passou para o 8 para as pessoas. E se era esta a grande estratégia de comunicação, percebe-se nitidamente porque é que sempre tantos problemas na comunicação com o povo português. É que esta gente toda esquece-se que as coisas a que os políticos dão tanta importância estão tão longe daquilo que os seus eleitores dão importância que uns e outros, apesar de falarem português, nunca se vão entender.

  4. A comunicação de Passos era 80 quando foi preciso mentir, descaradamente. Depois que o gajo conquistou o pote, não se interessou mais já com isso, substantivamente .

  5. Pingback: A entrevista – reacções (I) | a devida comédia

  6. Pingback: Os 13 posts mais lidos de 2013 | O Informador

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s