Será Angela Merkel a líder de uma nova Europa?

“One of the key purposes of NATO was to embed Germany in an international framework that would prevent it from becoming a threat to European peace as it had been in World War I and World War II. In the words of NATO’s first secretary general, NATO was supposed “to keep the Russians out, the Americans in, and the Germans down.” Now, Merkel is suggesting that the Americans aren’t really in, and, by extension, Germany and Europe are likely to take on a much more substantial and independent role than they have in the past 70 years.” 

A análise do The Washington Post ao discurso em que a chanceler alemã diz que a era em que podiamos confiar nos aliados terminou.

Bundeskanzlerin_Angela_Merkel_bei_einer_Wahlkampfveranstaltung_2013

 

Coisas da Sábado

Hoje nas bancas: 50 refúgios para descobrir Portugal; entrevista a Edward Snowden; Carlos Alexandre, Sérgio Moro, Baltazar Garzon e António Di Pietro defendem as denúncias premiadas no combate ao crime organizado e à corrupção; os candidatos autárquicos que mudam de poiso; a saída do procedimento de défice excessivo; o regresso do terror ao Reino Unido; Kakay, o advogado dos poderosos brasileiros; o polícia que fazia assaltos violentos; os testemunhos de quem está proibido de frequentar os locais preferidos; a incrível história do avô de José Avillez; fidget spinner, o novo brinquedo do ano; o casamento de Pippa e James; e todos os números de Cristiano Ronaldo. No GPS as novas pizzas e pizzarias de Lisboa e Porto; entrevista a Pedro Caldeira Cabral; o regresso de Twin Peaks; e muito mais.

CAPA_SABADO_682.jpg

Estado Islâmico reivindica atentado em Manchester

Demorou poucas horas: o autoproclamado Estado Islâmico acabou de reivindicar o atentado terrorista em Manchester. Ao contrário dos últimos ataques, o grupo terrorista fê-lo através do seu órgão de comunicação central e não através da mais conhecida Agência Amaq – o que poderá indicar que foi um atentado conduzido e não apenas “inspirado”. Para além disso, a reivindicação refere terem sido colocados vários engenhos explosivos por um “soldado do califado” e não refere qualquer bombista suicida. O ataque é também justificado pelas “agressões” aos muçulmanos. A reivindicação foi primeiro publicada em árabe e logo depois em inglês. resta saber se irá ser divulgado em breve algum vídeo do autor a jurar fidelidade a Abu Bakr al-Baghdadi.

Coisas da Sábado

Já nas bancas: Os segredos de Salvador Sobral; o negócio suspeito de Luís Filipe Vieira; o farmville da política portuguesa; o passado, o presente e o futuro do ramsonware; o ex-procurador Orlando Figueira pediu para voltar à prisão; como ficou Fátima depois da saída do Papa Francisco; os momentos decisivos e as estatísticas do tetracampeonato do Benfica; a opinião de Pacheco Pereira e João Pereira Coutinho; e no GPS há arte fora de horas; os locais onde já pode comer caracóis e muito mais. Boas leituras

CAPA SÁBADO 681

 

Coisas da Sábado

Hoje nas bancas: Perigos, factos e mitos sobre o desafio Baleia Azul; os seis reclusos indultados por Marcelo Rebelo de Sousa; entrevista a Ascenso Simões; a polémica na Câmara do Porto; os homens do presidente Emmanuel Macron; reportagem na maior produtora de frutos vermelhos de Portugal; Europol descobriu rede social do autoproclamado Estado Islâmico; as 22 horas e 40 minutos do Papa Francisco em Portugal; Kondor, o padre divulgador dos pastorinhos; o primeiro motel português abriu há 25 anos; as frases mais inconvenientes do marido de Isabel II; o português tetracampeão na Nova Zelândia; no GPS estão as melhores esplanadas de Lisboa e Porto; entrevista ao Walter White de Breaking Bad; e muito mais.

CAPA SÁBADO 680.jpg

Coisas da Sábado

Hoje nas bancas: Claques: os segredos, a violência e o poder; director da PJ alvo de denúncia por corrupção; a história da primeira comissão de inquérito parlamentar;  o grau de maquiavelismo dos políticos; cinco protagonistas da crise na Venezuela; entrevista de vida a Patrick Monteiro de Barros; na prisão com Maria de Lurdes Rodrigues, a única detida portuguesa por delito de opinião; testemunhos de crianças com multitransplantes; Fátima e os momentos políticos do século XX; os ataques de cães perigosos; o negócio das festas de aniversário para crianças; a filha impiedosa de Silvio Berlusconi; e os cinco anos em que o Benfica falhou o tetra.

No GPS: a 5ª edição do Sangue na Guelra, entrevista ao ex-Sonic Youth Thurston Moore; e muito mais. Boas leituras.

capa_Sabado679

Um herói da luta contra o terrorismo (1994-2016)

Era a segunda vez que Mário Nunes estava na Síria para combater o autoproclamado Estado Islâmico. Tal como tinha feito um ano antes, tinha viajado para o Curdistão sírio para se juntar às Unidades de Protecção Popular (YPG) na luta contra o grupo terrorista. Mas ao contrário do que aconteceu entre Fevereiro e Junho de 2015, não ficou inserido numa unidade normal: entrou para um grupo de elite, uma espécie de forças especiais, composto apenas por voluntários ocidentais conhecido por um nome de código: a 223. Mário tinha uma missão fundamental: era ele o operador da metralhadora pesada. Nunca se saberá exactamente o que aconteceu naquela tarde de 3 de Maio de 2016. Nem os reais motivos. Sabe-se apenas que o acampamento da 223 entrou num alvoroço quando o corpo de Mário Nunes foi encontrado estendido no chão. Na carta que foi enviada à família, algumas semanas depois, os líderes das YPG reconheciam o seu papel: “Mário não era apenas um combatente que dava força adicional à nossa luta. De facto, com a sua experiência e conhecimento ele foi um exemplo para os soldados mais jovens. Enquanto alcançou uma série de objectivos nas nossas linhas da frente, Mário serviu o propósito de ser uma ponte muito importante entre nós, os cudos de Rojava. Ele atravessou continentes pelo destino do nosso povo e humanidade”. Até hoje continua a ser, que se saiba, o português a juntar-se à luta contra o Estado Islâmico na Síria. Um herói, que merece ser recordado.

IMG_0556

Foto @Michael McEvoy