O português por detrás da máscara

“Estávamos em Abril de 2014. O governo tinha acabado de divulgar o Relatório Anual de Segurança Interna relativo a 2013. Pela primeira vez, era reconhecida publicamente a presença de cidadãos nacionais na guerra civil síria. Mas não se conheciam as suas identidades. Foi então que surgiu na Internet um vídeo de um guerrilheiro de cara tapada, a segurar uma metralhadora AK-47, a apelar aos muçulmanos que se juntassem à jihad na Síria (…) O seu nome: Abu Issa Al Andaluzi [Celso Rodrigues da Costa].”

Em “Os combatentes portugueses do Estado Islâmico”