Jornalismo no seu melhor

Estiveram por detrás da campanha que elegeu Donald Trump, mas não só. O que esta reportagem do Channel4 mostra é como a recolha de dados pessoais por grandes companhias pode pôr em risco a própria democracia.

Desmascarado

O Channel 4 News descobriu o responsável pela conta de propaganda do Estado Islâmico no Twitter, Shami Witness.

A empresa amiga da secreta britânica

Como uma companhia britânica deu acesso aos serviços secretos britânicos acesso aos cabos de fibra óptica que transportam a informação de milhões de pessoas. Uma reportagem do Channel 4 News, com base em documentos revelados por Edward Snowden.

Na última ditadura da Europa

Em 1994, os bielorrussos elegeram Alexander Lukashenko. Foram as primeiras eleições democráticas no país recém independente da União Soviética. E também as últimas. Desde então, Lukashenko ergueu um regime em tudo semelhante à antiga URSS – e foi o único a manter a designação de KGB para os serviços secretos. O que lá se passa é um mistério para os meios de comunicação ocidentais. Este ano, o jornalista do Channel 4 News Jonathan Rugman conseguiu um visto de entrada no país. Mas após a primeira visita, em Março, o documento foi revogado sem explicação. Esta é a reportagem.

Uma viagem da Somália até à África do Sul

Há uma semana partilhei aqui a primeira parte da reportagem de Jamal Osman, o jornalista do Channel 4 News que decidiu reconstruir a viagem que fez há 17 anos: um percurso de milhares de quilómetros da Somália, a sua terra natal, até à África do Sul. Esta é a segunda parte desse trabalho.

Da Somália à Europa, passando pela África do Sul

Há 17 anos, Jamal Osman deixou a Somália em direcção à África do Sul. O objectivo era chegar à Europa. O Quénia foi a primeira paragem. Depois seguiu-se a Tanzânia e Moçambique e muitos outras paragens. Hoje, ele é um dos repórteres do Channel 4 News. E para contar a história dos muitos imigrantes africanos que todos os dias arriscam a vida numa viagem sem destino certo, resolveu reconstituir a sua própria caminhada rumo a Londres. Esta é a primeira parte dessa reportagem.

Os combatentes humanitários na Síria

Há cada vez mais cidadãos europeus a deixar os respectivos países para ir fazer a Jihad na Síria. Esta semana soubemos da presença de um grupo de portugueses. Mas a maioria são muçulmanos britânicos. No entanto, eles não são os únicos a entrar no país. Muitos outros estão a contrariar os conselhos do seu governo para apoiar os adversários de Bashar Al Assad através da ajuda humanitária. A reportagem é do Channel 4 News.

A corrida ao gás na Roménia – e a resistência da população

A descoberta de grandes reservas de gás, na Roménia, atraiu gigantes internacionais como a Shevron. Isso significa que há muitos milhões de dólares para serem distribuídos , mas que não deverão chegar às populações – que estão a resistir. A reportagem é do Channel 4 News. 

Violada, presa e obrigada a casar com o violador: a história de uma mulher afegã

Em 2010, a afegã Gulnaz foi violada pelo primo do marido. Quando descobriu que estava grávida, foi à polícia. E houve alguém que foi preso: ela. Por adultério. Gulnaz passou 18 meses na cadeia. Até o seu caso chegar ao conhecimento da comunidade internacional e ela se tornar um símbolo das mulheres afegãs. Mas passaram três anos. As atenções da imprensa voltaram-se para outro lado. Agora, quando o Channel 4 News foi saber o que lhe aconteceu, descobriu uma realidade chocante: abandonada pela família, Gulnaz foi obrigada a casar com o homem que a violou.

Por dentro do Al Shabab

O Al Shabaab é um dos mais radicais grupos com ligações à Al Qaeda. Na Somália, tem verdadeiros campos de treino que recebem candidatos a mártires de todo o mundo. Alguns deles participaram no ataque recente ao centro comercial de Nairobi, no Quénia. O Channel 4 News obteve o acesso em exclusivo a um destes campos. Esta é a reportagem dessa visita.

A mensagem de Natal alternativa de 2013

A mensagem de Natal alternativa do Channel 4 News é já uma tradição: feita desde 1993 já foi protagonizada pelo ex-presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, Marge Simpson, Brigite Bardot ou Jesse Jackson. Este ano o escolhido foi o antigo analista da NSA, Edward Snowden.

Os anti-Mandela

Na África do Sul, o grupo saudosista da era do Apartheid, Kommandokorps, diz ter treinado dois mil jovens brancos nos últimos dois anos em campos paramilitares. Os rapazes aprendem a defender-se de um inimigo negro e são doutrinados nas diferenças raciais. Liderados pelo Coronel Franz Jooste, terão como objectivo a criação de uma pátria Afrikaner. A reportagem é do Channel 4 News, que conseguiu um acesso sem precedentes ao grupo.

Modo de vida: enganar jornalistas

A pirataria na Somália tem sido um negócio de milhões. Apesar de o número de ataques ter vindo a diminuir, houve uma outra indústria que floresceu em redor destes salteadores dos tempos modernos: a dos burlões de jornalistas. Atraídos ou enviados para reportar a realidade local, dezenas de repórteres tentam, obviamente, chegar à fala com piratas. E para isso têm de pagar: a intérpretes, intermediários, aos chefes locais. Conscientes de que os ocidentais têm dólares para dispensar, alguns somalis dedicaram-se a interpretar um papel: o de falsos piratas. A reportagem é do Channel 4 News.

Os preparativos para o campeonato do mundo continuam, sobretudo entre os traficantes de droga

Há medida que a data de início do campeonato do mundo de futebol no Brasil se aproxima, os traficantes do Rio de Janeiro estão a ficar cada vez mais ansiosos: para eles, se tudo correr bem, poderão duplicar o negócio com a chegada de 500 mil pessoas. Até lá tentam escapar aos raides policiais. Um repórter do Channel 4 News conseguiu acompanhar as patrulhas dos agentes e entrar em alguns esconderijos de traficantes – que dizem qual o ingrediente secreto usado no “corte” da droga.

As mulheres inglesas que se juntaram à jihad na Síria

Bilal Abdul Kareem é um norte-americano convertido ao islamismo que está na Síria a documentar o dia a dia os rebeldes. Depois de ter divulgado a existência de cidadãos britânicos a lutar pela jihad, Bilal Kareem forneceu agora ao Channel4News imagens exclusivas que provam que há também mulheres britânicas a lutar na Síria – ou, simplesmente, a apoiar os respectivos maridos no conflito contra as forças de Bashar Al Assad. São mulheres com educação, estudos e que tinham uma vida relativamente confortável, que trocaram jihad.

O britânico que lutou e morreu na Síria pela Jihad

IBRAHIM2_w_LRG

Ibrahim al-Mazwagi tinha 21 anos. Nasceu no Reino Unido. Cresceu numa família de classe média. Tirou um curso superior. Arranjou um emprego. Tinha uma vida “normal”. Até que decidiu ir para a síria lutar pela Jihad. Era apenas um dos cerca de 700 combatentes estrangeiros – muitos ocidentais – que escolheram lutar contra o regime de Bashar Al Assad. Ibrahim tornou-se o primeiro britânico a morrer no conflito. Esta reportagem do Channel 4 News segue os últimos meses da sua vida até ser abatido por um sniper. Deixou uma mulher, sueca, grávida.

O destino trágico das refugiadas sírias na Jordânia

A guerra na Síria obrigou-as a fugir do seu país. Muitas foram parar ao campo de Zaatari, no deserto da Jordânia, que já alberga quase 100 mil refugiados. No entanto, a viagem foi a parte menos má da vida dessas mulheres: aí chegadas foram confrontadas com abusos, raptos, tráfico e casamentos forçados não só por homens jordanos, mas também de outros países da região. A explicação de um xeque: é mais barato casar com uma mulher síria do que pagar um dote por uma saudita. Fica por cerca de 1400 dólares. Algumas famílias estão a casar as suas filhas cada vez mais cedo para evitar as violações e os ataques. Uma reportagem impressionante da Katalist Productions para o Channel 4 News.

A voz do terrorista de Boston

As autoridades norte-americanas autorizaram o alegado autor dos atentados da maratona de Boston, Jahar Tsarnaev, a fazer uma chamada para os seus pais. O casal, que vive no Daguestão desde o regresso dos Estados Unidos, no ano passado, gravou a conversa telefónica. A mãe perguntou-lhe pelos ferimentos, se está a comer bem e diz que o ama. Ao contrário do que os pais esperavam, ele não lhes disse que estava inocente. Num exclusivo para o Channel 4 News, a mãe de Jahar Tsarnaev reproduziu a gravação da conversa telefónica. É a primeira vez que o mundo ouve a sua voz.