Duarte Lima libertado

O advogado e ex-líder parlamentar do PSD vai deixar de estar em prisão domiciliária com pulseira electrónica. A notícia é da Lusa.

“O tribunal decretou hoje a libertação de Duarte Lima, que se encontrava em prisão domiciliária, por considerar que o perigo de fuga está diminuído, disse à Lusa o advogado do arguido.

“Houve reapreciação da medida de coação e considerou-se que o perigo de fuga e outros do género estão diminuídos”, disse Raul Soares da Veiga, que se mostrou de acordo com a decisão judicial, embora a tenha considerado “tardia”.

O advogado disse ainda que Duarte Lima, que se encontrava em casa com pulseira eletrónica, já foi notificado da decisão.

Em meados de março, a 7.ª Vara Criminal de Lisboa manteve a prisão domiciliária aplicada a Duarte Lima, um dos seis arguidos em julgamento no processo relacionado com aquisição de terrenos no concelho de Oeiras, através de empréstimo concedido pelo BPN.

Duarte Lima está acusado de três crimes de burla qualificada, dois crimes de branqueamento de capitais e um crime de abuso de confiança na forma agravada, esteve em prisão preventiva até maio de 2012, altura em que foi alterado o regime.”

Duarte Lima BPN

O negócio que fez cair Duarte Lima

Duarte Lima foi recentemente acusado pelo Ministério Público de burla e branqueamento de capitais, num processo em que o lesado foi o BPN. O esquema começou com a obtenção de um empréstimo para financiar a compra de vários terrenos em Oeiras, junto ao local onde esteve para ser construído o novo edifício do IPO. Tudo foi feito através de um fundo criado para o efeito, o Homeland, do qual Pedro Lima, filho do advogado, era o principal titular – apesar dos seus parcos rendimentos. É interessante comparar a acusação do Ministério Público – que, por motivos legais, não pode ser aqui reproduzida -, com as notícias publicadas na Sábado pelo António José Vilela  em Janeiro de 2010. Está lá tudo. Resta saber porque o processo levou tanto tempo a ser concluido.