Os comentários conspirativos de Estrela Serrano

Não costumo responder a posts colocados em outros blogues. Não é para isso que O Informador serve. Mas vou abrir uma excepção, por causa deste comentário de Estrela Serrano à capa da Sábado. Faço-o apenas porque, por ser professora universitária de jornalismo, uma investigadora da área dos média e também pelas responsabilidades que já teve como assessora de imprensa de Mário Soares, Estrela Serrano devia ser um pouco mais responsável nos comentários que faz ao que se passa na imprensa.

  1. Ao contrário do que escreve Estrela Serrano, a Sábado não antecipou a notícia que era para saír na 5ª feira. Como ela tem obrigação de saber, a Sábado, como a Visão, chega aos assinantes à quarta-feira. É por isso que o fecho de edição decorre entre segunda-feira e terça-feira. Foi por isso que a SIC Notícias mostrou a revista em directo a meio da tarde de quarta-feira. A única coisa que a Sábado fez, e que faz todas as semanas, foi colocar a capa da revista no site e na página de Facebook para os leitores saberem o que poderão comprar no dia seguinte. É assim há anos. Tal como todas as noites vemos as capas dos jornais do dia seguinte nas revistas de imprensa das televisões.
  2. A Procuradoria Geral da República não desmentiu a notícia da Sábado.
  3. Estrela Serrano está errada. Não houve nenhuma “estratégia”, nem a Sábado recebeu “um sopro vindo do sítio do costume”. Este trabalho está a ser preparado há várias semanas, com uma cuidada confirmação de factos, cruzamento de fontes, pesquisas de empresas e consultas em conservatórias. Para o perceber bastaria ter lido o texto antes de fazer qualquer comentário. Ou conhecer o trabalho e reputação do jornalista que a assina.
  4. Estrela Serrano esquece-se qual a função dos jornalistas – contar histórias, revelar segredos, dar notícias. Independentemente de quem elas envolvam. Foi isso que a Sábado fez, com respeito por todos os princípios deontológicos da profissão. Por isso, dizer que “não interessa se a notícia é ou não verdadeira porque se não é podia ser” é, no mínimo, ofensivo. E as ofensas ficam com quem as profere. Porque normalmente são um reflexo dos próprios.
  5. José Sócrates desmentiu. É verdade. Resta saber porque não o fez quando foi confrontado com a informação.
  6. Todo o raciocínio de Estrela Serrano parece estar montado à volta de uma suposta conspiração contra José Sócrates. É interessante que não tenha sido elaborado um raciocínio semelhante quando a Sábado (através do mesmo jornalista) noticiou a iminência da prisão de Duarte Lima, nem, mais recentemente, o esquema de fuga ao fisco por parte de Ricardo Salgado. Ou seja, parece que para Estrela Serrano há conspirações apenas quando elas envolvem socialistas.

Socrates