Os dois lados de uma fotografia

São duas imagens, do mesmo acontecimento, recolhidas de ângulos diferentes. A primeira mostra Fabienne Cherisma, uma rapariga haitiana de 14 anos, assassinada a tiro pela polícia depois de ser apanhada a roubar quadros após o terramoto no Haiti em Janeiro de 2010. A imagem valeu ao fotojornalista Paul Hansen o prémio de fotografia sueca do ano, em 2011.

Foto: Paul Hansen

Foto: Paul Hansen

A segunda imagem, de Nathan Weber, mostra a mesma rapariga, mas de um outro ângulo: rodeada de fotógrafos.

Foto: Nathan Weber

Foto: Nathan Weber

Quando foram divulgadas, as imagens provocaram um debate na Suécia sobre a ética jornalística e a necessidade de divulgação da segunda fotografia. Já passaram uns anos, mas a questão ética continua actual: o segundo retrato devia ter sido publicado? E se sim, merecia mais o prémio de imagem do ano do que a primeira?