O legado de Barack Obama

Longe dos imbróglios do Médio Oriente, Barack Obama vai ficar na história como o presidente que restabeleceu as relações diplomáticas Cuba, com o país de Fidel Castro.

Números da Guerra Fria

Sabiam que o código de lançamento nuclear dos Estados Unidos era 00000000? Ou que houve 90 testes atómicos no deserto do Nevada? Este e muitos outros factos sobre a guerra fria estão nesta animação vídeo.

A transformação da antiga “Montanha do Diabo”

Foi o ponto mais avançado da espionagem da NSA durante a Guerra Fria. Localizada nos arredores de Berlim, dentro das fronteiras do Pacto de Varsóvia, a “Montanha do Diabo” era usada para ouvir as comunicações soviéticas em todas as direcções. Agora, está abandonada. E foi transformada num paraíso de…graffitis. A história é do The New York Times.

Descobertas matinais: os outros agentes secretos da CIA

Durante a Guerra Fria a CIA treinou corvos, pombos, golfinhos e até gatos para agirem como verdadeiros espiões. Os animais colocavam escutas e transportavam objectos que permitia aos analistas da agência estar um passo à frente dos adversários. Agora, um antigo treinador contou inúmeros detalhes do projecto à revista do Smithsonian, de Outubro. O nome da escola: I.Q. Zoo. Não havia animal que não conseguissem treinar.

animal-intelligence-otter-10

A cimeira a bordo de um barco que lançou o novo mundo

“The world is leaving one epoch and entering another. We are at the beginning of a long road to a lasting, peaceful era. The threat of force, mistrust, psychological and ideological struggle should all be things of the past.”

A declaração de Mikhail Gorbachev, no final da Cimeira de Malta, a 3 de Dezembro de 1989, oficializou o que já era um dado quase adquirido: a Guerra Fria terminara. Nas semanas anteriores, a Hungria tinha aberto as fronteiras, na Alemanha o muro de Berlim caíra, tal como o governo da Checoslováquia.

Em Malta, na baía Marsaxlokk, o líder soviético e o presidente dos Estados Unidos, George Bush encontraram-se então pela primeira vez. Cada um tinha o quartel-general num navio. O mau tempo acabou por cancelar algumas reuniões e um jantar. Mas foi no cruzador Máximo Gorki, que os dois líderes deram a conferência final em que anunciaram reduções de tropas e armas na Europa e declararam o fim da Guerra Fria. Gorbachev garantiu que nunca iria começara uma “guerra quente” contra os EUA. Bush, concluiu:

“We can realise a lasting peace and transform the East-West relationship to one of enduring co-operation. That is the future that Chairman Gorbachev and I began right here in Malta.”

O interessante é que, à partida para Malta, George Bush estava determinado em evitar conversações sobre armamento e queria apenas promover uma imagem pública de desanuviamento. Só ao encontrar-se pessoalmente com Gorbachev percebeu que este propunha uma redução de armamentos – mas não a saída dos EUA da Europa. Está tudo aqui.

Malta_Summit