Atentado de Istambul ainda sem reivindicação

Este é o feed do Telegram da Amaq Agency, o meio de comunicação “oficial” do autoproclamado Estado Islâmico. Foi actualizado pela última vez às 21h58m. Não há, até agora, qualquer referência ao atentado no aeroporto de Istambul.

Untitled

O pianista da paz

Quarta-feira foi um dia tenso na Praça Taksim, em Istambul. De um lado, manifestantes. Do outro, a polícia. Os primeiros passaram horas a preparar-se para uma carga das autoridades. Como precaução, amontoaram máscaras de gás, óculos de protecção e medicamentos. Ao início da noite começaram a gritar aos polícias que se juntavam “Taksim está em todo o lado, em todo o lado a resistência”. Mas antes que o conflito entrasse numa nova escalada e as granadas de gás voltassem a voar, a praça foi invadida pelo som do piano de David Martello.

Nascido em Itália, mas com nacionalidade alemã, o pianista levou o piano – que ele próprio construiu e equipou com luzes para poder tocar no escuro – para Istambul onde passou a noite a tocar composições próprias, mas também clássicos de Bach e músicas icónicas como Imagine, de John Lennon. Mais tarde teve a companhia do turco Yiğit Özatalay. Manifestantes e polícias ficaram ali a ouvi-lo tocar. No final escreveu na sua página no Facebook que ia voltar na noite seguinte. E, talvez por isso, os confrontos voltaram a ficar à porta da praça Taksim.