A derrota final de Anders Breivik

A 22 de Julho de 2011 um fanático da extrema direita, chamado Anders Breivik, explodiu uma bomba junto ao gabinete do primeiro-ministro norueguês, em Oslo. Morreram oito pessoas. Depois, dirigiu-se ao campo de Verão da juventude do Partido Trabalhista, na ilha de Utoya, e matou indiscriminadamente 69 pessoas. Na maioria adolescentes.

Passados dois anos, a maioria dos sobreviventes está ainda mais determinada em lutar pelos seus ideais. Cerca de 30 apresentam-se como candidatos nas próximas eleições. Jorid Nordmelan, por exemplo, poderá mesmo ser eleita aos 22 anos. O jornalista do canal australiano SBS, Amos Roberts, visitou a ilha de Utoya e ouviu o testemunho de alguns dos sobreviventes do pior massacre na Noruega desde a II Guerra Mundial. As versões longas das entrevistas com duas delas podem ser vistas aqui. Em dia de aniversário, não há nada melhor do que histórias inspiradoras.