Afinal, Jesus atirou a primeira pedra

Jorge,

Continuas igual a ti próprio. Com um ego do tamanho do mundo. Um ego que te faz sempre assumir os méritos das vitórias e culpar os outros por não terem compreendido o teu génio na altura das derrotas. Se a bola bate no poste e entra foi porque tu disseste ao jogador para chutar daquela forma. Mas se ela bate na trave e sai foi porque o jogador não chutou como tu lhe indicaste. Já não nos surpreendes. Tal como não nos surpreenderás se um dia ganhares um troféu ao Benfica e festejares. É natural. Se esse dia alguma vez chegar, para ti não será o clube que te paga o salário a vencer. Serás tu. Ou a Paula Rego, não sei bem.

O que seria surpreendente na tua entrevista – ou nas conferências de imprensa – seria mostrar alguma elegância. Alguma decência. Alguma educação. Como nunca o fizeste, isso sim seria espantoso. Algo merecedor de aplausos. Podia não dar tantas partilhas nas redes sociais, nem comentários inflamados e jocosos de adeptos. Mas far-te-ia passar a outro nível que não conseguiste nos últimos seis anos. Eu sei que tentaste melhorar. Trocaste a Charneca da Caparica pelo Estoril, mas pelos vistos levaste a Amadora contigo. Continuaste a ir ao Solar dos Presuntos, mas é como se fosses o eterno cliente do Cantinho do Taxi. Tentaste também melhorar a imagem antes de chegares ao outro lado da Segunda Circular mas… espera aí. Pronto. Não tenho mais nada a dizer. Há, realmente, imagens que valem mais que mil palavras.

OriginalSize$2015_06_19_08_47_58_102600