Uma memória de Guantánamo

Mohamedou Ould Slahi está preso em Guantánamo desde 2002. Nunca foi acusado de nenhum crime. Em 2005, anunciou aos guardas ter escrito um livro: um relato detalhado do programa de transferências de prisioneiros e as torturas a que eles foram submetidos, do ponto de vista de um dos detidos. No entanto, o documento foi classificado de secreto. Foram precisos seis anos de uma intensa batalha legal para o manuscrito ser desclassificado – e só após 2500 redacções e com partes censuradas para proteger a “segurança nacional”. Esta terça-feira, finalmente, o livro foi publicado. E o The Guardian fez um trabalho de vídeo incrível sobre estas memórias.

Anúncios

Ébola: como se espalha e como ele mata

Há algum tempo partilhei aqui uma animação vídeo da CNN sobre o ébola. Esta, do The Guardian, é ainda mais completa.

O referendo na Escócia para estrangeiros (nós)

São 4m54s de um vídeo do The Guardian para perceber as origens do referendo sobre a independência da Escócia e o que está em causa. Inclui um troll, um líder partidário com nome de peixe e uma resposta honesta.

A I Guerra Mundial num documentário interactivo

O The Guardian produziu uma série documental interactiva para o online sobre a I Guerra Mundial. Até aqui nada de novo. A inovação é que a página no YouTube do jornal britânico permite aos internautas saltar de capitulo em capítulo ou conforme a sua vontade. Ou seja, um vídeo interactivo. Vale a pena ver.

Um frango que escapa ao fisco

A Nando’s é uma cadeia internacional de frango no churrasco, criada na África do Sul por um emigrante português. Mas o que terá começado como uma simples empresa, é hoje um intrincado grupo empresarial que também serve para poupar dinheiro em impostos. O The Guardian identificou o esquema – legal – no Reino Unido.

“Se acabar em Guantanamo, posso viver com isso”

O The Guardian entrevistou Edward Snowden em Moscovo. Este é o resultado final desse trabalho.

Escravatura dos tempos modernos

Adoro camarões. Se não forem assim tão caros, tanto melhor. Mas nada justifica que algumas pessoas estejam a ser tratadas como escravas para que nós possamos ter marisco mais barato nas prateleiras dos supermercados. E é isso que está a acontecer na Tailândia, como revela uma investigação do The Guardian. Vejam este vídeo. E na próxima vez que pegarem num camarão, não vão olhar para ele da mesma maneira.