Yasser Arafat terá sido assassinado com Polónio 210

yasser_arafat_586

Depois de encontrarem níveis anormais de Polónio 210 nas roupas e objectos pessoais de Yasser Arafat, cientistas suíços encontraram níveis 18 vezes superiores ao normal nos restos mortais do líder histórico palestiniano. A conclusão consta de um relatório de 108 páginas entregue à família do líder histórico palestiniano – uma ocasião testemunhada em exclusivo pela Al Jazeera. Os cientistas dizem que, em tribunal, estas análises serviriam para provar que houve um homicídio. A viúva de Arafat, Sura, já chamou à morte do marido o “crime do século”. Para quem não se lembra, o Polónio 210 foi a substância usada para assassinar o dissidente russo Alexander Litvinenko.

O mistério da morte de Yasser Arafat

Neste momento, o túmulo de Yasser Arafat está selado. As estradas que conduzem ao seu antigo quartel-general foram cortadas. Motivo: o corpo do líder histórico palestiniano está a ser exumado, depois de uma investigação de nove meses da Al Jazeera ter detectado quantidades anormais de polónio-210 em vestígios de saliva, suor, sangue e urina encontrados nas roupas e objectos pessoais de Arafat. Os valores foram confirmados por peritos forenses de um laboratório suíço – que garantem não ser possível terem surgido naturalmente. A investigação deu origem a uma grande reportagem. Vale mesmo a pena.